Pular para o conteúdo principal

Falando Sério

É bem complicado formular teorias diversas, e ao mesmo tempo não saber ao certo se são corretas, falsas ou se simplesmente não passam de uma esperança ou expectativa de que estas, no rol das especulações humanas, venham a se confirmar no tempo e no espaço de nossas angustias.

Mas, o que penso delas e o que me da confiança substancial para tanto, não está unica e exclusivamente nos "fedbacks" diários e contínuos dos que por sorte, ou por azar, venham a entrar em contato com assência efêmera de cada uma delas.
Acreidto estar minha fé na minha motivação interna, antes de qualquer coisa.
Claro que mais do que nunca é interessante ouvir, ou ler na tela um comentariozinho, simples, jocoso ou fantástico a respeito do que escrevemos, mas isso não deve ser uma alavanca. Por acaso Shakeaspeare esperava ouvir elogios de seus fãs antes de construir uma obra de genialidade incontestável?
E não que eu esteja querendo fazer uma comparação. Longe de mim. Seria tornar esse texto um besteirol sem sentido ou lógica.
Apenas digo, com a convicção de quem sabe o que sente, que não é o elogio que faz a criatividade uma possibilidade real tanto para gênios quanto para meros especuladores, caso aliás, que por hora me coloco com humildade serenidade e paciência próprios dos procuram os fundamentos primeiros de algo ou alguma coisa.
Escrever para mim, portanto, não é um passatempo, uma diversão ou um mero desvaneio.
É quase que uma oração. É quase que uma transposição de dor, alegria, contentamento ou mágoa. Sem saber ao certo, acabo por meio de minhas investigações internas, me vendo a cada dia e a cada nova postagem, minha alma mesclada ao meu texto. Com dúvidas, idéias e sugestões a respeito do pior e do melhor da natureza humana.
É em linhas, e em pensamentos que me mostro. Sem tirar nem colocar.
Demonstram minhas mais sinceras e verdadeiras esperanças diante do mundo lógico e da mesma forma minhas mais profundas decepções acerca do caminho e da rota alterada, que de certa forma, em meio ao caos e a desordem necessaria a humanidade segue...
É infundada a permanência de uma forma de pensamento que se baseie apenas nos julgamentos e sentimentos de revolta e dor acerca de nossa conjuntura. Mas é uma saída. E além do mais, também tenho, como já disse, esperanças. Também acredito no lado em que homem vira a mesa. Em que assume seu papel fundamental no planeta. Porque se assim não o fosse, estaria eu, com certeza assumindo um papel, por outro lado, profético e hecatombico que não me cabe.
O que posso dizer ao certo é que entre todas as coisas, a que mais prezo, é essa em que, pensando e ruminando o mundo, acabo por acionar a centelha minha de cada dia, que me permite amar, gritar, e dizer coisas apenas minhas, e que por ousadia ou necessidade deixo para que possam experimentar e conhecer, um pouco de minha alma buscadora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA CLÁSSICA E AS IDEIAS DE MAQUIAVEL.

A tradicional concepção de política  proposta por Aristóteles, prevê uma visão oriunda da natureza humana  e que através de um continuo aprimoramento leva o indivíduo a  desenvolver um comportamento virtuoso por meio de escolhas que  possibilitem  a realização do bem comum e individual no contexto social grego. Há uma estreita relação entre o comportamento ético e o comportamento político, que inevitavelmente está ligado à moral, pois o ato de perseguir este bem moral, este bem comum, o bem da polis leva o indivíduo  a exercer e deliberar sobre os assuntos da polis. E isso reflete uma igualdade entre aos cidadãos, que a partir da unidade constroem a diversidade, princípio fundamental da vida e da política grega segundo Aristóteles. Nesta perspectiva, contrariando o pressuposto lógico da anterioridade do indivíduo, a polis é anterior a este, e este sem a polis não poderia existir. É a cidade que sustenta conceitualmente o individuo e é por meio dela que o individuo realiza e potencializ…

Esoterismo é uma religião?

Bem, foi esta pergunta que uma grande amiga me fez outro dia, quando por ocasião de uma situação inusitada, ouvíamos na CBN uma entrevista com Teólogo e Professor de filosofia da UFRJ, Leonardo Boff. O repórter da CBN havia lhe perguntando a respeito da reação tardia da igreja católica sobre a onda de casos de pedofilia envolvendo padres católicos.

Durante o papo e falando sobre a problemática da sexualidade humana, na igreja e na família como um todo, acabei pegando um gancho nas belíssimas respostas dada por este grande mestre Leonardo, e lhe apresentei minha posição pessoal sobre o que significa Integração Holística, busca ao transcendente, equilíbrio humano, dualidade e outros tantos conceitos que fazem parte do dicionário de quem, sem dar nome ao bois tem uma busca pessoal baseada na verdadeira acepção da palavra religiosidade.

No vai-e-vem do papo ontológico que travamos, referi-me ao conceito de esoterismo como um caminho de integração e conexão (No sentido de Religare e não de…

O Discurso do Método Terceira parte

O estudo da obra de Descartes, mais precisamente entre a 3ª e 4ª parte do Discurso do Método, conforme proposto pelo professor, iniciou-se com a revisão dos conceitos elaborados pelo autor que culminaram com a sua mais famosa máxima: Penso, Logo Existo. A partir desta perspectiva o mesmo constrói sua linha de raciocínio em busca de uma contínua desconstrução de todo e qualquer obstáculo ao princípio de verdade. O que o autor define como Dúvida Metódica. Começa por meio da implantação de um filtro, onde através de análises profundas e metódicas, estabelece um critério básico como ferramenta de aprimoramento de suas idéias. Esse filtro se refere, portanto à definição da verdade e da falsidade nas coisas. Aquilo que possuir a verdade em sua totalidade, passa no filtro do que pode ser dito como verdade e de outra forma, aquilo, que possuir ou conter mesmo que pequenos traços de falsidade deve ser descartado do contexto das verdades dotadas de clareza e exatidão em sua essência.

Em busca …